Curso técnico de aperfeiçoamento é diferencial no mercado de trabalho

O estado de Minas Gerais terá de qualificar 1.175.667 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023

  • por em 2 de outubro de 2019

(Foto: freepik.com)

O estado de Minas Gerais terá de qualificar 1.175.667 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para subsidiar a oferta de cursos da instituição.

A demanda prevista pelo estudo inclui, em sua maioria, o aperfeiçoamento (formação continuada) de trabalhadores que já estão empregados. Em parcela menor (26%) estão aqueles que precisam de capacitação para ingressar no mercado de trabalho (formação inicial). Nesse grupo estão pessoas que vão ocupar tanto novas vagas quanto postos já existentes e que se tornam disponíveis devido a aposentadoria, entre outras razões.

Essas ocupações têm em sua formação conhecimentos de base industrial e por isso são oferecidas pelo Senai, mas os profissionais podem atuar em qualquer setor da economia. Além de subsidiar a oferta de cursos do Senai, o Mapa do Trabalho pode apoiar jovens na escolha da profissão e trabalhadores que desejam se recolocar no mercado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
1959
Categorias:
Notícias

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Cassio Costa

Tá… E pelo que li até o momento sobre o assunto, a faixa etária das pessoas que poderão ter acesso a essa formação continuada é de 19 a 24 anos, aproximadamente. Tenho 46, cursos técnicos, graduação, pós-graduação e tô desempregado há 2 anos. O SENAI tem algo a oferecer de requalificação para cidadãos em minha faixa etária ? Tenho disposição e posso contribuir por muitos anos pela frente para o crescimento do Brasil. Penso, infelizmente, que é muita ‘perfumaria’ para pouquíssima efetividade em proposições no oferecimento de oportunidades de emprego para cidadãos na faixa dos 40 anos de idade. Me corrijam, por favor, se minha visão da realidade estiver embaçada pelo pessimismo ou desinformação, ok. O potencial de minha geração está sendo jogado no lixo da história.